“Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.” (Miguel Unamuno)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Aflição Passageira


Um alguém pra você e um ninguém para mim,
Ou versa ou vice,
Com pesadas malas e passos decididos,
abriu a porta e partiu.
A luz então, negou seu alumiar,
Não havendo quem contesse a escuridão.

A aurora de mais uma manhã torna-se
O primeiro dia do resto de uma existência,
De uma alma que se partiu, se apartou
De uma porção ingrata que,no caminhar das horas,
E no passar dos dias,
Sempre parecerá mais feliz.
Mecânicas serão as tarefas, cada gesto virá
Carregado de enfado.

Pensamento aos turbilhões e o conhecido
Em qualquer esquina, te inquirirá
E tu irás mentir, a dizer que passas bem
Como a mãe que o filho perdeu entre seus joelhos
Pesada de lamento, mas impedida foi de chorar pelo seu rebento
O engano fluirá de teus lábios enquanto o sumo negro da tristeza
Vai lhe queimando as entranhas, pois o orgulho
Sela teus lábios para que não clames por socorro.

Indefinido e imprevisto é o fim deste tormento,
E o poeta dirá que é vã tua procura
Pela poesia nas tuas dores, ou na infância que para trás ficou
Segundo ele o verso aguarda onde as palavras reinam,
E impróprio é o poema que se contaminou
Nas impurezas do solo.

A cura depende do eu, do tu, do de+ele,
Pelo tempo, embalsamado, indeciso, indeterminado.
As lágrimas que parecem perversas;
Das vigílias da noite, tuas companheiras,
Não há o que as espante,
Não antes de nos lavar o ser.
Não há alvejante que se compare,
Nem o trabalho do mais exímio lavandeiro

O fim disso tudo é o esquecimento, não o completo,
Mas o inexpressivo.
A angústia culmina por ser aplacada
E o sofrimento, inócuo.
Aquele alguém que se foi torna-se uma mancha
Abandonada em um passado que por vezes não parece nosso
Que não volta para nós, mesmo que assim almejemos,
Tal e qual a brisa que não se enclausura no punho fechado.

3 comentários:

  1. "O fim disso tudo é o esquecimento, não o completo, mas o inexpressivo." Perfeito!!!

    ResponderExcluir
  2. Comentário via facebook feito pelo amigo e irmão em Cristo, Ulisses Estanislau em 07/02/12:

    "Ju dei uma lida no que você escreveu sobre aflição passageira, muito interessante.
    Gostei. Um abraço."

    ResponderExcluir