"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Nascer...

Quando começamos a ter uma noção de mundo, começamos a entender que nascemos. De início, a gente entende o nascer como fazer aniversário - é aquele dia de alegria e de festa; dia de comer bolo e ganhar presente. Com o tempo, a gente vai percebendo também que lembrar desse dia, é alegria pra nosso pai e nossa mãe e mesmo com toda emoção que seus olhares emanam, é uma experiencia inexplicável para nós. Acredito que semelhantemente deve se alegrar Deus quando a gente nasce para ele e hoje faz 42 anos que isso aconteceu. O Senhor me enviou como mais uma flecha da aljava de meus pais e lá do Céu me olhava com o mesmo doce olhar que minha mãezinha querida ao me ter nos braços pela primeira vez.

A maternidade me trouxe a oportunidade de compreender o júbilo que foi para meus velhos me ver chegando no mundo e sou grata ao Pai por esta dádiva. Agradecida de igual forma sou quando aprouve a Ele me elevar da condição de criatura à filha e assim ser chamada filha de Deus, co-herdeira em Cristo. Isso tem um pouquinho menos de tempo: 13 anos. Que maravilha! No Evangelho, ainda sou adolescente! Oh, mas quem me dera ter sido adolescente em minha vida secular com a cabeça que tenho agora! Quão melhores não teriam sido minhas escolhas e que diferentes caminhos teriam me levado, mas enfim... Deus é Senhor sobre todas as coisas e nenhuma folha cai de uma árvore se não for pela Sua permissão.

Há um tempo para todas as coisas debaixo do céu e cada primavera, é tempo de nascer. Essa bela estação traz consigo as flores e cada broto que se abre é um renovo de vida. Os espinhos acompanham a beleza das flores, entretanto não há dor que o tempo não cure e o ouro de boa qualidade mais valioso se torna ao ser passado pelo fogo.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Afinal, o que é democracia?

O termo democracia vem da palavra demokratia, que por sua vez é formada dos vocábulos demos (povo)+kratos (poder). A grosso modo, a democracia pode ser conceituada como o governo do povo, para o povo e pelo povo, mas o que muita gente não sabe é que vivemos em um Estado Democrático de Direito sem, no entanto, atinar profunda e verdadeiramente acerca do que vem a ser o efetivo exercício da democracia.

No Brasil, o modelo democrático adotado é o semi-representativo, onde o povo exerce sua soberania por meio do sufrágio universal, bem como tem a oportunidade de participar diretamente da tomada de decisão.

Feitas essas considerações iniciais, podemos então partir para a resposta do quesito que intitula esta obra: afinal, o que é democracia? Muitos com certeza responderiam que é o direito de votar e ser votado, porém vos afirmo que tal definição melhor se encaixaria se aqui tivéssemos sido convidados a conceituar sufrágio universal.

Outro ponto interessante seria dirigir ao cidadão comum outra indagação: “para você, quem são os donos do poder?” Outra vez, certamente, a esmagadora maioria apontaria como detentores do poder os governantes das três esferas de poder (federal, estadual e municipal) e demais representantes políticos. Agora, preste atenção neste exemplo: se você fosse possuidor de uma empresa e esta, após dispensar um empregado, pagando-lhe todas as suas verbas rescisórias, mas mesmo assim este empregado fosse buscar amparo no judiciário para a completude do direito que, segundo sua concepção, não lhe foi concedido na integra? O procedimento regular, aqui simplificadamente exposto, é a confecção de uma contestação e no dia e hora pelo juízo programados, comparecer pessoalmente a fim de refutar os fatos apresentados pelo queixoso, contudo digamos que por inúmeros outros compromissos importantes que, de igual forma, carecem de seu comparecimento pessoal, você levante um preposto e a este conceda poderes especiais para representa-lo nesse dia. Significaria que você, empresário, transferiu a titularidade do seu empreendimento ao seu preposto? É óbvio que não. O mesmo acontece querido leitor, com quem você votou para deputado, senador e etc. Ele é tido como aquele capaz de expressar a sua vontade e de igual maneira habilitado a defender e garantir os seus interesses, mas isso não significa que o poder que é seu foi para ele transferido. Entendeu? Ele é seu preposto! Os detentores de cargo político são prepostos do Estado. Todo o poder emana do povo e por ele é exercido por intermédio de seus representantes políticos, assim nos garante a Constituição Federal em seu artigo primeiro, parágrafo único. A meu ver, o primeiro passo para que possamos viver em uma democracia plena é que todo brasileiro tome consciência e compreenda o que isso significa. Iremos deveras adiante quando este dia chegar; o dia em que tomarmos consciência de que não mais pesa sobre nossos ombros o sustento de uma metrópole, tampouco os grilhões da escravidão nos prendem.

Em outra época, foi slogan de alguém que a educação é um direito de todos e que esta continua sendo a solução de nossas mazelas e é verdade! A Bíblia sagrada diz: “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Fato! Uma vez libertos da ignorância, nosso povo se fortalecerá e o tão sonhado desenvolvimento nos alcançará. Essa crença pode parecer romântica e essa luta, quixotesca, mas acredite, caro leitor, até nisso o dominador espera que você invista: na descrença ante as instituições estatais e isso não é de hoje. Vem de uma época onde o coronelismo imperava. Aos mais céticos, faço o convite para examinar a Historia e perceber que ela por si só corrobora o quanto narrado. Por hora, basta-nos concluir que é bastante conveniente que a democracia continue sendo vista como simplesmente o direito de ir e vir, a liberdade de expressão e o direito ao voto. Afinal, se o povo ficar muito esperto, quem poderá conte-lo?

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Blog Ju Passinho - 04 anos!!!

Quatro anos! O tempo voa! Lembro como se fosse ontem o dia em que eu amadurecia a ideia de voltar a compartilhar com o público a minha arte. Louvado seja Deus, por Seu Filho Jesus Cristo por isso! 

Bem, gente, quatro anos não é? Ufa! Ainda tem tanta coisa que quero compartilhar aqui com vocês, mas enfim! Basta cada dia o seu mal e ideal é darmos um passo de cada vez. Eu não poderia encerrar esta postagem sem agradecer as mensagens de carinho e apoio que tenho recebido, apesar do pouco tempo que tenho tido disponível para me dedicar a esta plataforma - falha esta que pretendo sanar dentro em breve e quando este intento eu finalizar, desejo que cada nova publicação faça valer os muitos dias de ausência. Por intermédio do Todo Poderoso e dos grandes educadores que Ele tem posto em meu caminho, os meus horizontes têm se ampliado e este trabalho é minha forma de compartilhar as riquezas do conhecimento com as quais tenho sido agraciada. Não sei se o que deixarei para a posteridade será lembrado tal como o legado do genial Villa-Lobos, contudo meu objetivo primaz é contribuir para edificação e crescimento de todo aquele que acessar esse canal.

A você meu leitor, incentivador e colaborador felicidades e sucesso por esses quatro anos - quarenta e oito meses - de amor e devoção ao conhecimento, à Literatura e à Educação. Que Deus nos abençoe hoje e sempre!