“Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.” (Miguel Unamuno)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Estou na Bahia!

Sorria, sorria! Estou na Bahia! Que felicidade, o céu daqui é azul.
Isso mesmo, blue!
De onde eu vim também era, mas olha enfado: nublado!

Hum, cidade de São Salvador! Que calor! Que inverno!
Inverno?! Frio?! Inexpressivo!
Acho que dá, sobrevivo e prossigo;
A vida continua, tem que ir pra escola;
"Baleou" é o nome da bola e não queimado.

Não ser igual, na moral, não traz desavença,
À diferença?! Vou me adaptando,
Turno matutino, reunião à tarde, CSU
Uuuuh! Que mico! Não é formal, é informal o traje
Que ultraje! Sou eu de "patricinha", e agora, amiguinha?
Não! Assim não fico, então minto, menor o mico.

Ok, menos mal, passou, não volta mais,
Aprendi, não repito, satisfaz, mas a voz não disfarça,
Sotaque - motivo de graça. E agora?! Falo "paulianês"
Não é inglês, não tem dicionário.
Como me saio?! Não saio, ensaio, misturo tudo aqui e ali
E nesse embalo lá se vão 28 anos.

Oh, Bahia retada! Que não sei se amo ou se rodeio, porém é o que é - sem rodeios,
Porque tá no sangue sim, fofinha! É de onde veio painho e mainha!
Sou a número 02 e depois?! É assim mesmo, às vezes, na maresia.
Da paulicéia?! Só a saudade, do "embassou", da categoria,
Mas tá na hora v'ombora!

Na cortesia?! Só Jesus é o Santo, não tô na folia, mas não cesso o canto,
Nem o pranto, e aí?! E aí?! Já ia!
Não é Maria?! Afinal: estou na Bahia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário