"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós." (Clarice Lispector)

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Apenas Seguia

A tendência maior que temos ao lermos os evangelhos de Nosso Senhor Jesus Cristo é prestarmos atenção nas atitudes inusitadas de personagens como Zaqueu, a mulher Cananéia, o centurião de Cafarnaum e alguns outros.
Mas, o que dizer da grande multidão que APENAS seguia o Mestre? Há grosso modo, alguns poderiam argumentar que, pelo fato de esse aglomerado de pessoas ser conhecido como seguidor de Cristo sem, contudo se encaixar no conceito de adepto ou partidário, coisa alguma em seu comportamento merece destaque, porém assim como a Palavra de Deus nos dá exemplos a serem imitados, sou levada a pensar que o testemunho destes meros seguidores do Messias deve ser inserido na lista daqueles a quem nós não devamos tomar como modelo.
Confesso que até pouco tempo eu também ignorava a dita multidão. O que me despertou para o fato foi a letra de uma música e eu, como todo bom bereano, examinei as escrituras. O prêmio foi uma enriquecedora revelação de Deus para mim nesse sentido. Posteriormente, o Espírito Santo me guiou a usar esse conhecimento em uma pregação num culto doméstico.
Somos chamados para ser luz e sal nesta terra, todavia em coisa alguma faremos diferença tendo um contato superficial com nosso Salvador.
Na leitura da passagem bíblica encontrada em João 6, versículos 1 e 2, e, neste mesmo capítulo, os versos 22, 23 e 24, nota-se que o autor se refere a um grupo de pessoas que acompanhava Jesus, mas sua participação em seu ministério se limitou a assistir e se maravilhar com os sinais e milagres por ele operados sem, entretanto esses eventos mudarem suas trajetórias de vida e, no mesmo contexto, os interessados em “se servir de Deus”.
Atualmente, o Senhor Jesus continua a operar milagres pelas mãos daqueles que nele crêem (Mc 16-17 e 18; Jo 14-12), mas, infelizmente, muitas igrejas estão cheias de meros “seguidores” do Rabi.
Um verdadeiro adepto de Jesus Cristo não se contenta em APENAS SEGUIR o mestre. Ele trabalha para chegar à estatura de varão perfeito (Ef 4-13), tomando também por base as atitudes dos heróis da fé.  Assim agindo, desfruta das bençãos advindas do fato de sermos co-herdeiros em Cristo e faz com que o Pai seja glorificado no Filho (Jo. 14-13).

2 comentários:

  1. Oi Jú. Tomando seu exemplo e de muitos amigos que me mandam links para comentar em seus blog, resolvi também fazer um. Gostei muito do seu ponto de vista: que adianta fazer parte de uma multidão que segue a Jesus, se isso não nos traz nenhum diferencial? Glória a Deus pela tua vida!!! bjsss.

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto, Ju! Expressa com sobriedade e leveza uma questão que tem deixado muitos daqueles que não se contentam em seguir em situações difíceis, afinal, a multidão dificultou a chegada de alguns até o mestre, e hoje não é diferente. Quem não quer ser multidão, tem mesmo é que ser forte e passar por ela.

    Lindo texto, amei a abordagem! Deus abençoe sempre!!!

    ResponderExcluir